terça-feira, 30 de março de 2010

Abraão, Isaque, Eliézer e Rebeca: Uma tipologia da volta de Cristo (Gênesis 24)

Abraão, Isaque, Eliézer e Rebeca: Uma tipologia da volta de Cristo (Gênesis 24)

Abraão viu que seu filho Isaque já estava na idade de se casar. Por isso, providenciou que Isaque se unisse a uma crente, pois vemos que Eliézer foi enviado á Mesopotâmia para encontrá-la no meio da sua parentela. Abraão não queria que ele se unisse a uma pagã cananita.

Flávio Josefo afirmou que Isaque já tinha 40 anos quando Abraão decidiu casá-lo. O casamento de Isaque trata-se de um casamento planejado nos céus. Mas, vemos nesse episódio uma tipologia, isto é, uma sombra de como será o arrebatamento da igreja. Vamos aos detalhes:

Abraão envia Eliézer para buscar uma esposa para seu filho

Assim como Eliézer, servo de Abraão, foi enviado para buscar uma esposa para seu filho, Isaque, Deus Pai enviou o Espírito Santo para buscar uma noiva para seu filho, Jesus Cristo (At 2.1). À semelhança do servo que não falou por si mesmo, o Espírito não fala por sua própria conta, mas fala acerca do Filho da promessa (João 16:13-15). Da mesma forma que o servo presenteou a Rebeca com coisas preciosas como uma antecipação das riquezas de Isaque, o Espírito concede dons e penhor do Espírito à Igreja (II Co 1:22).

Sabemos que Isaque  ficou com Abraão enquanto Eliézer foi em busca de Rebeca. Assim, sabemos que O Filho, Jesus Cristo hoje está assentado á direita de Deus Pai (At 2.33; 5.31; Hb 8.1), enquanto o Espírito Santo prepara a noiva do Cordeiro que é a Igreja de Cristo (Jo 3.29; Ap 19.7;22.17;).

Eliézer orou ao Senhor para que lhe ajudasse a encontrar a noiva certa para o filho do seu senhor (Gn 24.12). O Espírito também intercede pela igreja de Cristo (Rm 8.28).  Rebeca era belíssima e virgem (Gn 24.16). Sabemos que virgindade simbologicamente refere-se á pureza, santidade. A igreja que o Espírito vai apresentar a Jesus é santa, pura e irrepreensível (Ef 5.27; Hb 12.24). Como Rebeca creu em Isaque e o amou sem havê-lo visto, o crente crê em Cristo sem vê-lo, ama-o e se alegra com alegria inefável e gloriosa (I Pe 1:8). Finalmente, vê-se na longa viagem que Rebeca tinha de fazer, a imagem da jornada do cristão para seu lar celestial.

Isaque vai ao encontro de Eliézer com sua noiva

Outro fato que me chama a atenção e me deixa maravilhado, é que Isaque estava orando no campo. Provavelmente ansioso para ver sua futura noiva (Gn 22.61). Isaque encontrou Rebeca e Eliézer no meio do caminho. É maravilhoso encontrar nas Escrituras que Cristo virá buscar a sua noiva entre os céus e a terra, isto é, no meio do caminho, nos ares:

(I Tessalonicenses 4:17) -  Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.

Imagino a alegria e o amor de Isaque e Rebeca ao cruzarem seus olhos no campo. Da mesma forma, grande será o amor de Cristo para com a sua noiva, a igreja do Senhor. (Gênesis 24:67) - E Isaque trouxe-a... e tomou a Rebeca, e foi-lhe por mulher, e amou-a... 


O que está reservado para nós naquele grande dia!?



(I Corintios 2:9) -  Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam. 


Vosso conservo,

Pr. Flávio Alves


Bibliografia:

HOFF, Paul. O Pentateuco.
JOSEFO, Flávio. A história dos Hebreus, CPAD, 
8ª ed, 2004.

3 comentários:

Elaine Cristina disse...

Pastor Flávio, muito bom o post, mas estou aqui para pedir ao senhor que como um servo de Deus que é falar aqui no seu blog um pouco da PNDH 3 que ameaça a nossa população. Obrigada.

Anônimo disse...

Lá em cima esta escrito Gênesis 22-61 não existe este versículo,muito boa revelação,repare depois este errinho e normal,bom dia Pr André

Paulo disse...


Esse tipo de interpretação é a chamada alegórica. Não faz sentido nenhum. O Espírito Santo nos esclarece nossa condição e necessidade de redenção, mas, não cria nem revela significados para os textos.

Seguir por Email